junho 23, 2010

Resenha: Luluzinha Teen parte01

Ráááá! Sim!

Finalmente uma resenha de Luluzinha Teen! Antes de nos aventurarmos nesta primeira edição, vamos contar um pouco sobre ela.
Luluzinha para quem não sabe, é criação Marjorie Henderson Buell (Marge), sua primeira aparição data desde 1935 nos EUA em tiras de jornal. Se tornou muito popular chegou a ganhar um desenho animado e viajou pelo mundo.

Luluzinha é uma garota esperta e irredutível que vive em conflito com o amigo gordo, chamado Bolinha e se encontra em inúmeras situações hilárias. Algumas como "babá" do menininho Alvinho ou aprontando alguma traquinagem.

No Brasil chegou lá pelos anos cinquenta e fez muito sucesso principalmente na época em que foi publicado pela editora Abril entre 1973 até 1996 e ficou sumida por um bom tempo. Lançaram algumas coletaneas de histórias da década de 40 e só. Teve uma animação recente que chegou a passar na Rede Globo.
Em 2009 para surpresa geral a personagem resurge adolescente na revista Luluzinha Teen e sua turma. É uma produção 100% nacional publicada pela editora Pixel e parece que com a onda teenager encontrou seu espaço ao lado da Turma da Mônica Jovem. Então vamos a trama.




Luluzinha Teen e sua Turma
Episódio 01
Rock, Verdades e Webcam


Nesta primeira história vemos a jovem Lulu (Luluzinha, pomba!) e sua amiga Glória na praia falando de paqueras. Lulu repara que seu amigo Bola (o Bolinha, que não é mais gordo) com outra garota, mas subitamente a situação muda quando aparece um tubarão na praia.
Voltamos no tempo e vemos Lulu se apresentando a uma câmera de video falando de si e a cidade onde vive, chamada LIBERTA e a seus "points" como a escola onde Lulu estuda, o shopping e praia que frequentam, etc...
Logo ela fala de seus amigos:
Bola, seu "melhor amigo (pretenso namorado até que os editores decidam faturar com isso, Ehehehehe...)" que não sei qual o sentido do nome, pois o rapaz já não é mais gordo.

Ele tem uma banda de rock chamada Lock, onde "menina não entra".

Glorinha, outrora inimiga de infancia, se torna grande amiga de Lulu (ajuda a aumentar o núcleo feminino da turma). É do tipo rata de shopping, consumidora voraz de roupas e entendida de moda... Essas coisas fúteis, sabe?
Alvinho, o garotinho que ela tomava conta virou surfista, vive na praia. Incentivado pelo avô e contrariando seus pais (humm... potencial).
E claro, faltou a Aninha agora uma hacker fissurada em tecnologia que frequenta um mundo virtual tipo rpg on line.
Apresentados aos personagens, encontramos na escola onde são convidados a participar de uma ação comunitária da INOVA chefiada por um rapaz chamado Leon ( Que encantou a Glorinha). Tudo ia bem até chegar um conflito de classes (pobres e ricos) que acaba em porradaria. Depois da confusão, dias depois ao chegarem na escola encontram depredações e paredes cheias de pixações com dizeres: "Quem quer viver em paz?" e "No que você acredita?".

As acussações logo partem para a Inova, mas Lulu decide investigar a fundo e entra numa trama complexa de pistas falsas e simbolos estranhos com o nome Bombz.
Enquanto isso, a banda do Bola vai fazer sua apresentação no lugar chamado "Livre" abrindo para cantora Pitty (que faz uma tipica participação especial).
Aninha se ve numa trama paralela em seu mundo virtual onde parte em busca. No caminho, acaba cruzando informações relacionadas a Bombz.
Já Alvinho ganha um campeonato de surf e rivaliza com um garoto que conheceu na Inova.
A trama descamba e Lulu encontra vários suspeitos mas nada cosistente até acontecer um blecaute na escola e o responsável era Jet, amigo do Alvinho que queria interromper as provas e acusar o pessoal da Inova, pois ia mal nos estudos e não queria parar numa escola militar.
Então voltamos ao inicio da trama onde acontece um acidente com Alvinho e seu rival e a aparição de um tubarão falso com uma mensagem: "Não acredite em tudo que vê!"
A história continua...
===========================================================

Tenho certas impressões sobre isso.

É uma clara ação oportunista do sucesso da Turma da Mônica Jovem, desde o logo, o formato do gibi, estilo mangá e os personagens escolhidos (que são personagens infantis muito antigos). E tem gente que me acusa disso, heim?
E a editora Pixel Media, investiu bem no titulo. Fez um blog da personagem e o escambal...

Outra impressão estranha foi a caracterização dos personagens, mas isso o Dédis e a Dina respondem por mim:



Se você reparar bem, ha muita pouca semelhança fisica dos personagens (Bola?). Acha que ninguém faz melhor?

Arte do falecido (no mundo virtual) Jean Okada

Já suas personalidades, alguns conservaram alguma coisa e outros não, mas sempre achei a maioria dos personagens da Luluzinha meio rasos nesse quesito.

A arte ficou por conta do estudio brasileiro Labareda Desing, andei me deparando com vários desses artistas no deviant art. É boa só que dá para reparar alguns erros de anatomia típicos e sem falar do sempre famigerado "prazo apertado" deva ter influenciado esses erros. O ponto positivo do titulo é dar trabalho ao talento nacional (ah! embora tenham sido os artistas não foram responsáveis pela escolha do desing dos personagens).
Quanto a trama, pertuba um pouco o clima teenager/malhação da coisa. A aparição da Pitty era para atrair público, mas não reclamo muito pois nos Simpsons é costume aparecer "convidados especiais", embora não tenha relevância para a história...
Mas no todo a trama é mais pé no chão que o arco inicial da TMJ e segue bem até, isto é um ponto pra lá de positivo para o gibi. Agora veremos o que vai acontecer nas próximas edições, apesar da cara de pau da editora Pixel Média.

4 comentários:

ANDF disse...

Também achei um tremendo oportunismo da PIXEL. Mas... É o "apelo-modista-comercial... XP

O Bola do Jean Okada parece um jovem JOÃO GORDO. Inspiração? XD

A crítica do DÉDIS nessa tendência é matadora! XD XD

Ivan Linares disse...

Se os desenhos de Jean Okada tivessem sido os "oficiais", essa Lulu Teen teria ganhado muito no quesito visual. Se você faz uma "renovada" no visual dos bonecos, tem que deixar alguma coisa da aparência antiga pro pessoal reconhecer, o que foi um ponto a favor da "Mônica Jovem". Se não me dissessem que era a Luluzinha, nunca reconheceria se topasse com o desenho.

Ele apresentou esses esboços à editora? Teve algum concurso pra escolher o "design" dos personagens? Alguém sabe?

Valeu pela atenção!

JJ Marreiro disse...

O mais importante fato ligado a Luluzinha Teen é dar trabalho para artistas brasileiros, possibilitando-os exercer seu ofício e pagarem suas contas com isso.

Em termos de identidade criativa, a versão de Jean Okada é muito mais coerente e atrativa.

Rogério, parabéns pelo belo trabalho, pelas homenagens e resenhas!

Rogério de Souza disse...

Ivan, não sei ao certo se o Jean enviou esses esboços para eles, mas seria legal se tivessem aceitado.

JJ Marreiro, obrigado.